Mais de 100 mil profissionais da equipe médica do Providence puderam melhorar o atendimento e reduzir os custos por paciente com o Tableau


Unificou a visualização de dados para mais de 50 hospitais e mais de 100 mil profissionais da equipe médica
Reduziu o custo de cuidados médicos em US$ 20 milhões no primeiro ano em que começou a usar o Tableau para visualizar dados de atendimento
Reduziu os custos de cirurgias de substituição de joelho em US$ 297 por paciente, gerando uma economia aproximada de US$ 3 milhões

O Providence St. Joseph Health é uma rede de 51 hospitais com uma equipe médica formada por mais de 100 mil profissionais que prestam serviços de saúde econômicos e de alta qualidade a milhões de pacientes todos os anos. Os dados dos pacientes são armazenados em vários sistemas, incluindo prontuários médicos eletrônicos. Com a expansão contínua do Providence, gerenciar e integrar o volume crescente de dados é um dos principais desafios do hospital.

O Providence precisa de uma visão completa da saúde e do nível de satisfação dos pacientes, do custo de atendimento, dos resultados comunicados pelos pacientes e de outros dados para otimizar a qualidade do atendimento, bem como melhorar a experiência dos pacientes e da equipe médica. Antes de adotar o Tableau, os analistas criavam várias versões das mesmas análises de indicadores-chave de desempenho (KPIs), mas os painéis careciam de qualidades importantes, como disciplina estatística, dados comparativos entre hospitais e regiões, avaliação de processos e dados sobre custos.

Como primeiro passo, o Providence identificou os problemas comuns que os dados podiam resolver, criando exibições unificadas para destacar práticas recomendadas e reduzir o desperdício. Práticas ineficientes incluíam o uso desnecessário de materiais e medicamentos caros, o que aumentava o custo por paciente e encarecia o atendimento.

Usando a plataforma do Tableau, o Providence criou painéis acessíveis para toda a rede de hospitais, exibindo dados detalhados sobre qualidade e custos. Os painéis permitem que especialistas e clínicos consultem análises pertinentes a cada hospital, médico e unidade de tratamento individual. Essa transparência nos dados melhorou consideravelmente o controle de qualidade e reduziu muito o custo de atendimento.

Acho que a maior contribuição do Tableau para o nosso crescimento é a simplificação do escalonamento. Depois que os dados estão organizados, é extremamente fácil adicionar um novo gráfico ao conjunto de visualizações relacionadas a determinada região.

Análises que agregam valor mudaram a percepção dos clínicos do Providence

Para acompanhar as necessidades de uma instituição de saúde em constante expansão, é necessário analisar dados complexos (incluindo centenas de KPIs) e gerar informações acionáveis que ajudam a melhorar a qualidade do atendimento. Porém, na rede dispersa de hospitais do Providence, vários relatórios de desempenho eram salvos em lugares diferentes. Isso impedia a equipe de acessar todos os dados relevantes ou usá-los para colaborar e tomar melhores decisões.

Para piorar, muitos médicos não confiam nos dados de saúde. Eles questionam se os prontuários eletrônicos agregam valor ao seu trabalho e se os analistas têm os conhecimentos de medicina necessários para dar utilidade a esses dados. É por isso que o Providence criou o cargo de diretor de análises médicas e contratou o Dr. Ari Robicsek para supervisionar as análises de dados clínicos. O objetivo era melhorar os cuidados prestados aos pacientes, democratizar a assistência médica e melhorar a experiência de atendimento.

Ari lidera a equipe de análises clínicas responsável por toda a rede, que implementa painéis do Tableau e outras ferramentas de análise para uso clínico em todos os hospitais. A equipe inclui pessoas com conhecimentos práticos das necessidades específicas dos clínicos: médicos que supervisionam o custo do atendimento e os resultados do desenvolvimento de ferramentas e métricas de atendimento; enfermeiros que intermedeiam a comunicação entre as equipes clínicas, técnicas e de análise para garantir que o trabalho analítico e os resultados sejam úteis para todos os clínicos; e a equipe de bioestatísticas, que conta com ampla experiência em análise de dados de saúde. Além dessa equipe central, também há equipes de análise regionais ou de hospitais específicos, que são responsáveis por solucionar problemas locais.

O objetivo inicial da minha equipe era criar uma fonte única de consulta, ou seja, um painel centralizado que incluísse todos os KPIs importantes para todos os nossos hospitais.

Usando o Tableau, a equipe de Ari criou painéis contextuais relevantes que os clínicos e outros funcionários do Providence podem usar para analisar e entender as métricas de qualidade do atendimento. Esses painéis substituíram relatórios que não eram intuitivos ou adaptáveis, eliminando os problemas de ineficiência trazidos pelos relatórios estáticos. Os usuários também podem assinar painéis adicionais que influenciam o trabalho de médicos, enfermeiros e hospitais específicos.

Otimizando os dados de pacientes com outras métricas de atendimento, o Tableau ajudou o Providence a descobrir o que funciona e o que não em todos os seus hospitais. Com uma única plataforma, a equipe agora pode identificar as melhores oportunidades de maximizar o valor agregado e eliminar desperdícios. “Vimos em toda a rede uma evolução significativa nos resultados de qualidade, que eram difíceis de melhorar. Acredito que parte disso se deve ao fato de que agora falamos todos a mesma língua”, acrescenta Ari. Atualmente, o Providence está testando a integração do Tableau ao ambiente de prontuários médicos para permitir que os clínicos façam suas análises no mesmo sistema que usam na maior parte do dia e que concentra todos os dados sobre os quadros dos pacientes.

Com a criação de uma rede unificada de painéis do Tableau, os usuários podem acompanhar o desempenho de toda a rede e de todos os hospitais, de hospitais e unidades de tratamento específicas, bem como de uma lista de pacientes de determinada unidade. Tudo isso otimizou a comunicação e a colaboração da equipe para melhorar muitos de nossos KPIs.

Resultados concretos: Tableau ajuda a identificar práticas ineficientes e melhora o atendimento aos pacientes

De acordo com a Centers for Medicare and Medicaid Services, mais de US$ 3 trilhões são gastos por ano em assistência médica, e aproximadamente um terço desse valor corresponde ao desperdício de recursos. O Providence estava empenhado em acabar com práticas ineficientes e, ao mesmo tempo, reduzir os custos e melhorar o atendimento aos pacientes usando o Tableau. Porém, o foco nos dados não é suficiente para mudar a mentalidade dos médicos. A equipe de análise precisava de uma abordagem inovadora e embasada nos dados.

Com o Tableau, o Providence analisou dados e ajudou os clínicos a identificar práticas ineficientes. Os cirurgiões especializados em operações do joelho costumavam usar cimento ósseo com antibiótico para evitar que os pacientes contraíssem infecções, o que quase quadruplicava o custo por paciente. O Providence analisou milhares de pacientes submetidos à aplicação de cimento comum e com antibiótico para ver se o material fazia diferença nas taxas de infecção em pacientes operados pela primeira vez. O hospital constatou que não havia diferença. Eliminando o uso desnecessário de materiais caros em um grande número de cirurgias, o Providence passou a economizar milhares de dólares anuais gastos nos 10 mil procedimentos realizados e reduziu em US$ 76 o custo de cimento ósseo por caso. Uma abordagem semelhante adotada para outros materiais resultou em uma redução de US$ 297 por caso no primeiro ano dessa iniciativa.

Os médicos não querem aumentar desnecessariamente as despesas dos pacientes, então, quando os cirurgiões do Providence viram os dados e o impacto de suas decisões, ficaram agradecidos e ávidos por mais informações. Ao coletar, analisar e compartilhar os dados de forma mais organizada, o Providence agora ajuda os médicos a entender que comportamentos influenciam positiva ou negativamente o atendimento aos pacientes. A instituição agora está reduzindo ou pelo menos estabilizando os custos para pacientes e áreas clínicas de seus 51 hospitais, mesmo diante das pressões inflacionárias. O Providence reduziu em US$ 20 milhões o custo de atendimento para 10 quadros clínicos já no primeiro ano dessas iniciativas.

O mais interessante foi que o número total de pacientes (de substituição do joelho) que pudemos estudar foi muito maior do que todo o grupo combinado avaliado na literatura médica mundial sobre o tema, já que essa é uma área pouco estudada.

Líderes da instituição apoiam o uso de análises governadas de autoatendimento para promover a transparência

As fontes de dados do Providence são complexas e incluem Premier, Press-Ganey, Epic, entre outras. Antes do Tableau, os analistas desenvolviam suas próprias visualizações com dados dessas fontes, e vários painéis eram usados por diferentes grupos de usuários da rede de hospitais. Esses painéis eram copiados e colados em longos relatórios no PowerPoint ou em PDF que eram salvos nos servidores locais, o que dificultava para os clínicos o compartilhamento de análises e métricas de desempenho para ajudar pacientes, a prática clínica e o Providence. Da mesma forma, os líderes de hospitais locais e regionais, executivos e diretores do Providence tinham dificuldade para criar uma exibição consolidada e de alta qualidade do desempenho da organização.

Como os líderes corporativos apoiaram o uso do Tableau desde o início, os líderes e clínicos de hospitais locais e regionais começaram a usar a plataforma e, em pouco tempo, perceberam o valor que ela agrega. A padronização também era uma exigência da diretoria: como toda a organização adotou o Tableau, o Providence passou a ter uma única linguagem de visualização de dados usada pelos líderes e pela equipe operacional para acompanhar a qualidade do atendimento. Na realidade, muitas das métricas utilizadas para determinar o bônus dos executivos agora se baseiam em painéis do Tableau.

Expandindo o sucesso: Providence prioriza a análise visual

Para melhorar ainda mais a transparência empresarial e a análise de dados, além dos quadros clínicos iniciais (como substituição de joelho, fusão espinhal e ponte de safena), o Providence agora está implementando a iniciativa de monitoramento de dados e redução do custo por caso para todas as doenças tratadas na rede de hospitais.

“Estou ansioso para expandir o excelente trabalho que temos feito, e nossa equipe está trabalhando arduamente para criar a plataforma que tornará isso possível”, explica Ari. A análise também está ajudando a incorporar estatísticas no processo de ETL, e o Providence começou a usar a integração do R no Tableau para aumentar a flexibilidade da filtragem e dos parâmetros de dados para que a relevância estatística dos dados beneficie todos os médicos.

É incomum ver um médico trabalhando em tempo integral em uma função de gerenciamento de análises. Porém, tenho certeza de que, na área da saúde, isso faz toda a diferença.